samedi 29 octobre 2016

Arabella


Entre palavra diretas, fluidos indiretos, ereções contraídas, constrangimentos e arabescos. Entre a confiança e o medo: os abismos das primeiras vezes e as sujeiras do não sabido. Que gosto tem o caminho, se não há objetivo? Não há reposta, não tem solução.

Gastar as pernas que não se tocam...a meia luz é o refúgio. Ressaca para curar as lacunas de silêncios e arritmias. Amor e despedidas que nunca tivemos.

Nada que não se cure com chocolate.

Aucun commentaire: